Bahia Sem Fome e Sefaz discutem estratégicas de combate à fome

Preços, Decreto Nacional de Cesta Básica, viabilidade da oferta de benefícios para empresas parceiras do Programa Bahia Sem Fome. Esses foram os principais assuntos discutidos pela coordenação do Programa Bahia Sem Fome (BSF) e o secretário Manoel Vitório da Silva no Gabinete da Secretaria da Fazenda (Sefaz), em reunião realizada na tarde desta terça-feira (19), no Centro Administrativo da Bahia, em Salvador.

O economista recebeu Tiago Pereira, coordenador geral de Ações Estratégicas de Combate à Fome, para discutir os preços das cestas básicas definidas pelo Decreto Nacional, além da possibilidade da criação de programas para beneficiar empresas parceiras do programa, como campanhas publicitárias. Atualmente, 170 empresas apoiam o Bahia Sem Fome. “No que for possível, a gente apoia e podemos viabilizar como contrapartida para as empresas que contribuem para o Bahia Sem Fome. Vamos buscar as ações das secretarias sociais e enviar sugestões para a coordenação analisar”, afirmou o secretário Vitório.

Durante a conversa, Tiago Pereira destacou as ações que vêm sendo realizadas pelo programa, além do decreto de regulamentação da lei que cria a Rede de Equipamentos e a importância da viabilidade de um selo de responsabilidade social para as empresas parceiras do Bahia Sem Fome. “É muito importante esse momento, que marca um dialogo inicial para pensarmos juntos como oferecer uma contrapartida para empresas apoiadoras do programa”, destacou.

O combate à fome é pauta prioritária dos governos estadual e federal no âmbito do combate à fome na Bahia e no Brasil.

Sobre o Bahia Sem Fome:
O Bahia Sem Fome é o Programa Estadual de Combate à Fome do Governo da Bahia, uma resposta à crise nacional que deixou mais de 33 milhões de brasileiros em situação de fome, incluindo 1,8 milhão na Bahia, segundo dados da Rede Brasileira de Pesquisa em Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional (Rede PENSSAN). O Programa busca garantir o acesso a alimentos de qualidade para aqueles em situação de vulnerabilidade, promovendo segurança alimentar e nutricional e reduzindo os índices de insegurança alimentar grave. Por meio de uma abordagem intersetorial, o Bahia Sem Fome mobiliza todas as áreas do governo estadual e diversos setores da sociedade para fortalecer a agricultura familiar, povos e comunidades tradicionais, além de oferecer oportunidades de trabalho e renda para quem mais precisa.

Assessoria de Comunicação:
Bahia Sem Fome

Doe aqui
Bahia sem fome
Icone Whatsapp