Coordenador do Bahia Sem Fome convida a refletir sobre insegurança alimentar

Em visita ao Instituto Regional da Pequena Agropecuária Apropriada (IRPAA), no município de Juazeiro (BA), nesta terça-feira (18), o coordenador do Programa Bahia Sem Fome (BSF), Tiago Pereira, destacou a necessidade da sociedade refletir sobre a fome e o papel das escolas agrícolas e da juventude na luta contra esse flagelo.

“Essa escola tem um papel extraordinário para a formação de lideranças no sentido de construir um semiárido mais forte. A juventude tem que ocupar o semiárido com força”, disse Tiago, que é ex-aluno do IRPAA.

Para o coordenador do BSF, a insegurança alimentar é um tema contemporâneo e o retorno do Brasil ao Mapa da Fome é fruto dos efeitos da pandemia, mas também da macropolítica que, nos últimos seis anos, estabeleceu congelamentos de gastos e tirou a classe trabalhadora do orçamento público.

“Hoje, o grande esforço dos governos é trabalhar para construir políticas públicas de combate à fome”, disse Tiago. Ele antecipou que o presidente Lula lançará, nas próximas semanas, o Brasil Sem Fome, programa que segue as diretrizes do Bahia Sem Fome.

Iniciativas do Governo do Estado

Tiago ressaltou que o governador Jerônimo Rodrigues tem realizado uma série de ações no sentido de mudar o quadro na Bahia. Entre elas, estão a aprovação do projeto de agroecologia, além da própria implantação do Bahia Sem Fome, que envolve todas as secretarias e órgãos estaduais.

“Sabemos, no entanto, que não há política pública efetiva sem o apoio do Governo Federal. Hoje as pessoas conclamam pela comida e isso precisa ser considerado por todas as esferas do poder”, completou Tiago.

Fonte: Ascom/Bahia Sem Fome

Doe aqui
Bahia sem fome
Icone Whatsapp