Para garantir a segurança alimentar de quase 2 milhões de baianos, Governo do Estado apresenta programa Bahia sem Fome

Em apoio à campanha Bahia Sem Fome, lançada nesta sexta-feira (24) pelo Governo do Estado, a Secretaria do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (Setre) montou uma ação estratégica de arrecadação e distribuição de alimentos não perecíveis e itens de higiene e limpeza por meio de 61 unidades do SineBahia e 23 lojas dos Centros Públicos da Economia Solidária (Cesol), em todo o estado. O objetivo é contribuir para a redução da insegurança alimentar dos quase dois milhões de baianos nessa situação.

Em cada unidade, cartazes chamam a atenção do público para as doações. As coordenações das unidades que participam da ação estão orientadas a buscar parceria com empresas e instituições da localidade para estimular as doações. Os alimentos e itens de higiene e limpeza serão distribuídos entre as famílias carentes, em observância às diretrizes da campanha Bahia Sem Fome.

Para potencializar o alcance da campanha, a Setre também fará uma busca ativa nos 50 municípios, que possuem os menores Índices de Desenvolvimento Humano (IDH), com parcela significativa da população em situação de vulnerabilidade socioeconômica. O SineBahia Móvel estará nessas localidades, de acordo com o calendário de visita, para a emissão de documentação civil (RG) com o objetivo de permitir às (aos) cidadãs (ãos) a formalização do acesso ao Programa Bahia Sem Fome e outros programas sociais.

Agenda itinerante

O calendário prevê a permanência do SineBahia Móvel por dois dias em cada um dos 50 municípios listados com previsão de 100 atendimentos diários. Na última semana deste mês de março, as carretas do SineBahia Móvel passarão pelos municípios de Brejolândia (Território de Identidade Bacia do Rio Corrente) , Jaguaripe e Teolândia (Território do Baixo Sul). Na primeira semana de abril será a vez de Andaraí e Nova Redenção (Chapada Diamantina), Itaitê e Marcionílio Souza, também na Chapada, e Caravelas e Guaratinga (Extremo Sul).

A campanha Bahia Sem Fome surgiu da necessidade de amenizar, de forma imediata, a insegurança alimentar de cerca de 1,7 milhão de baianos. Depois de sair do Mapa da Fome em 2014, o Brasil retornou em 2022 quando a fome crônica atingiu 4,1% da população brasileira . De acordo com a Organização das Nações Unidas (ONU) um país entra no Mapa da Fome quando mais de 2,5% da população enfrentam falta crônica de alimento.

Entre o período de 2019 e 2021, 15 milhões de brasileiros passaram fome e 61 milhões tiveram dificuldade para se alimentar. Entre 2014 e 2016, menos de 4 milhões de pessoas no país enfrentavam insegurança alimentar grave. A campanha Bahia sem Fome se soma a outras iniciativas do governo federal.

Doe aqui
Bahia sem fome
Icone Whatsapp